sábado, 7 de novembro de 2009

Humildes palavras sobre a volta do Gigante da Colina

Hoje farei um post, não como um jornalista, mas sim como torcedor. Até porque nada melhor do que o amor de um torcedor para explicar como a vida mudou em um ano.

Pra começar me lembro muito bem da semana que antecedeu a queda do Vasco da Gama, eu e meu pai indo ao treino do Vasco para pegar uma mensagem com os jogadores para fazer surpresa no clipe da festa dos 15 anos da minha irmã. Mesmo com o clima hostil que rondava São Januário, todos os jogadores e a comissão técnica mandaram o recado para minha irmã. Sabia que a situação era 99% impossível, porém a fala do técnico Renato Gaúcho “Venceremos o jogo domingo e de presente para você o Vasco não será rebaixado” me marcou muito.

No dia do aniversário (06/12) o vídeo passou e foi uma surpresa geral para todos, sabendo que o jogo seria no dia seguinte e vendo a mensagem de apoio para minha irmã acho que chegou a pintar um pouco de otimismo que tanto me faltou durante o campeonato.

No dia 07/12 resolvi não ir ao estádio, já prevendo algo de ruim, preferi ficar em casa assistindo ao jogo isolado no meu quarto. Em campo, não vi nada que me animasse e quando o juiz apitou final Vasco0x2 Vitória fiquei atônito e hipnotizado pelas caras tristes dos vascaínos no estádio.

Quando o meu pai veio me chamar para ir à missa de domingo, avisei que não ia já que queria ficar isolado no meu momento, as lágrimas até esse momento não tinham caído. Até que ele veio me abraçar falando que isso era normal que daríamos a volta por cima, pronto era a abertura da torneira necessária para o choro de amor, de surpresa.... de um torcedor que ama tanto seu time.

Não estava preocupado com as zuações, ou com as piadinhas de mau gosto, porém estava sim com meu time que pela primeira vez se viu entre os quatro últimos colocados do Brasileirão, um time tetracampeão (sem asterístico) e de tantas glórias e histórias.

Não me deixei abater e nos dias seguintes vesti a camisa do Vasco com mais amor do que nunca para mostrar que “O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR” que o sentimento de nós torcedores não seria abalado por uma diretoria mesquinha que afundou o Vasco e deixou a bomba prestes a explodir nas mãos do nosso ídolo Roberto Dinamite.

O ano não foi 100% maravilhoso, porém pude perceber nas atitudes da diretoria como nas contratações de profissionais decentes para trabalhar no clube como o Rodrigo Caetano e investir no Marketing que a caravela vascaína estava navegando pelos mares certos.

Não posso esquecer do excelente investimento no técnico Dorival Júnior e nos jogadores escolhidos a dedo pela comissão técnica que vestiram a camisa com amor e dignidade que essa camisa de tantas glórias merece. O choro do zagueiro Fernando ao fim do jogo mostra claramente o sentimento dos jogadores que estavam empenhados nessa volta do grande campeão Vasco.

Uma boa participação no Campeonato Carioca, uma semifinal da Copa do Brasil e enfim a série B. Um início complicado no caminho da volta, só serviu para abrilhantar ainda mais essa conquista. Hoje no dia 7/11, exatamente 11 meses depois o Vasco vence o Juventude por 2x1 no Maracanã e carimba sua volta para a primeira divisão.

Assisti a esse jogo exatamente onde estava a 11 meses atrás, no meu quarto, assistindo na mesma TV, no mesmo canal e com sentimento de que esse sofrimento que passamos só serviu para unir cada vez mais os vascaínos na voltar às glórias e sucesso.

Agora lágrimas caem do meu rosto, não pela tristeza, mas pela felicidade de ver o Vasco no caminho certo, pelo amor que nunca deixei de ter pro esse time, pelo fim de todo sofrimento... ENFIM lágrimas de um torcedor que ama muito seu time.

Dever cumprido, torcedores chorando por alegria pelo amor que nunca acabou, garantindo que O SENTIMENTO NUNCA PAROU. Ídolos que foram formados nesse ano como o goleiro Fernando Prass, o lateral Ramon, o meia Carlos Alberto, entre tantos outros...

Parabéns a todos, a torcida que nunca parou de apoiar, a diretoria que está fazendo um trabalho sério, aos jogadores que se empenharam e honraram a camisa, enfim parabéns ao VASCO que voltou ao lugar de onde nunca tinha que ter saído.

Nesse jogo pensei na música O PORTÃO de Roberto Carlos que é vascaíno. Essa música fala bem sobre a volta do VASCO.

"Eu voltei! Agora prá ficar. Porque aqui! Aqui é o meu lugar Eu voltei! Pr'as coisas que eu deixei Eu voltei!.."

4 comentários:

Ricardinho disse...

Não só o seu sentimento, mas de todos nós vascaínos, não parou, e nunca vai parar.
Vascão da Gama na primeira novamente, de volta ao lugar de onde nunca deveria ter saido.

Bonitas palavras Filippe...

Saudações Vascaínas!!!!!

Keka Barros disse...

Sempre achei muito bonito esse amor que existe entre o torcedor e seu time, principalmente em não o abandonar na hora do rebaixamento, da fraqueza. Isso sim é amor, parabéns pela volta, te vejo na 1° divisão! :D

Felipe Rocha disse...

Acho que muitas vezes um clube da grandeza do Vasco precisa cair para a segundona para se reestruturar. E foi o que aconteceu.

E agora é rumo a Dubai!

Guilherme Lombardi disse...

isso aconteceu com meu time ano passado e não sou a paixão de nos torcedores aumentou como o time se superou e conquistou dois titulos no ano.